terça-feira, 29 de novembro de 2011

V - Fórum de Psicanálise e Cinema - 2011

FILME: O GAROTO DA BICICLETA
DATA: 05/12/2011 - SEGUNDA-FEIRA
HORÁRIO: 19:30
Local: Saladearte Cine Vivo
CONTATO: (71) 33478777



José Queiroz - Psicanalista, coordenador do Fórum de Psicanálise e Cinema da APBa e Professor do Curso de Psicologia da UNIJORGE (jhqz@uol.com.br)



quarta-feira, 9 de novembro de 2011

IV Jornada de Psicanálise da APBa

O mal-estar na subjetivação

26 de novembro de 2011

08:30 - abertura



Entrada Franca
Obs: Inscrições Limitadas
33478777 - com Tina ou Denise


Ao final da Jornada será servido um almoço de confraternização



LANÇAMENTO

SERÁ LANÇADO NA JORNADA, EM DVD, A PALESTRA DE CONTARDO CALLIGARIS
VALOR: R$ 20,00 REAIS

obs: em breve vamos disponibilizar a venda pela internet (aguardem no site, blog e emails)





sábado, 5 de novembro de 2011

IV - Fórum de Psicanálise e Sociedade - 2011

DROGAS: quanto mais se fala mais se falha

DATA: 21/11/2011 - SEGUNDA-FEIRA
HORÁRIO: 19:00
CONTATO: (71) 33478777
Local: Livraria Cultura do shopping Salvador 





Todos estão convidados à livraria cultura do shopping Salvador, para assistir a palestra do Dr.  Antônio Nery Filho que é Médico Psiquiatra, Professor associado do Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal da Faculdade de Medicina da Ufba. Coordenador Geral do CETAD.


O Fórum é aberto ao público e terá a  coordenação de Cláudio Carvalho (Psicanalista).

Entrada Franca:
As inscrições serão feitas no local. Começará as 19:00 no dia 21/11/2011.


Cláudio Carvalho - Autor do livro  O Educador e o Psicanalista: diálogos do cotidiano, Coordenador do Fórum de Psicanálise e Sociedade da APBa e do DIÁLOGOS CONTEMPORÂNEOS NO MAM



Obs 1: A venda em DVD do I Fórum de Psicanálise e Sociedade, poderá ser feita através do telefone: 33478777 - falar com Tina (à tarde). O palestrante foi Contardo Calligaris.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Solidariedade e Literatura



Solidariedade e Literatura


Muitas vezes, a solidariedade exige uma expressão material. Fui obrigada a uma reflexão mais aguda sobre minha prática de vida e meus discursos por um mundo melhor, a partir de um chamamento pelo qual fui profundamente tocada. Na presente semana recebi, da Associação de Psicanálise da Bahia, uma solicitação de doação de medula óssea. Imediatamente encaminhei o email para toda a minha rede e me senti em paz, já que havia feito o politicamente correto: comunicar a solicitação para todos os meus contatos. Fui para o trabalho pensando na pessoa de cuja vida depende uma doação.
         Tomei ciência de que o Hemoba, órgão receptor de tais doações, fica em Salvador, na Avenida Vasco da Gama, longe de minha casa e que portanto outras pessoas mais próximas, pensei teriam mais facilidade em atender ao pedido. Foi aí que me detive – no pedido. Alguém desesperado, talvez, faz uma campanha, para que um outro alguém doe alguma coisa que todos nós, repito, todos nós, temos em abundância e esta coisa pode salvar a vida de quem espera. Sem nos tirar nada, apenas a medula óssea, que não nos faltará, uma vez que a produzimos sistematicamente, podemos permitir que uma pessoa continue vivendo. Supus, com meu egoísmo, que a pessoa que espera poderia ser o meu filho. Imaginei o meu filho, próximo da morte, esperando pela iniciativa de alguém de boa vontade.
     Fui tomada por uma dor visceral. Imediatamente, venci minha inércia: num pequeno intervalo de tempo, fui até o HEMOBA; tiraram o meu sangue para fazer a classificação, me cadastrei, tornando-me uma doadora. Não basta encaminhar emails. São tantos os encaminhados que nem abrimos!... O politicamente correto não basta para salvar a vida de quem espera com uma pequena sobrevida. É uma corrida contra o tempo.
            Lembrei-me do livro de Steinbeck, As Vinhas da Ira, em que a personagem, não tendo o que oferecer a uma pessoa faminta, dá-lhe o leite que produzia para um filho nascido morto.
            A literatura nos diz que sempre temos algo para doar que nos dignifica. Porque não venceremos nossa inércia que quase nos convence de nosso egoísmo?









domingo, 23 de outubro de 2011

III - Fórum de Psicanálise e Sociedade - 2011


ARTE COMO PROCEDIMENTO

DATA: 26/10/2011 - QUARTA-FEIRA
HORÁRIO: 19:00
CONTATO: (71) 33478777
Local: Livraria Cultura do shopping Salvador 







Todos estão convidados à livraria cultura do shopping Salvador, para assistir a palestra de Antônio Saja que é filósofo, com Mestrado em Artes e Doutorado em Letras pela Ufba. Título da sua intervenção: "Arte como procedimento".



O Fórum é aberto ao público e terá a  coordenação de Cláudio Carvalho (Psicanalista).



As inscrições serão feitas no local. Começará as 19:00 no dia 26/10/2011.


Cláudio Carvalho - Autor do livro  O Educador e o Psicanalista: diálogos do cotidiano, Coordenador do Fórum de Psicanálise e Sociedade da APBa e do DIÁLOGOS CONTEMPORÂNEOS NO MAM



Obs 1: Em breve vamos disponibilizar a venda em DVD do I Fórum de Psicanálise e Sociedade, 2011. O palestrante foi Contardo Calligaris.

Obs 2: Em breve vamos disponibilizar a venda em DVD do II Fórum de Psicanálise e Sociedade, 2011. O palestrante foi Paulo César de Souza.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

VAMOS DOAR MEDULA ÓSSEA! PRECISAMOS DE VOCÊ!






Olá amigos e amigas da Associação de Psicanálise da Bahia,

pedimos a todos vocês com idade entre 18 e 54 anos que cadastrem-se 

voluntariamente no banco de dados de medula óssea, pois precisamos de muitas pessoas

para que juntos possamos aumentar as porcentagens  de uma pessoa encontrar alguém compatível com seu código genético (isso não é fácil)

Assim,  busquem o local  adequado em sua cidade para fazer essa boa ação. Em Salvador/Bahia temos unicamente o HEMOBA (próximo ao HGE) que realiza esse cadastro.

Se você não for de nossa cidade, informe-se do local onde precisa realiza-lo.

Segue um link do youtube que pode esclarecer todas as suas dúvidas quanto a essa doação!


CONTAMOS COM TODOS!

O PROCEDIMENTO É SIMPLES E MUITO FÁCIL DE SALVAR VIDAS!









terça-feira, 4 de outubro de 2011

IV - Fórum de Psicanálise e Cinema - 2011


FILME: MEDIANERAS
DATA: 10/10/2011 - SEGUNDA-FEIRA
HORÁRIO: 19:30
Local: Saladearte Cine Vivo
CONTATO: (71) 33478777


José Queiroz - Psicanalista, coordenador do Fórum de Psicanálise e Cinema da APBa e Professor do Curso de Psicologia da UNIJORGE (jhqz@uol.com.br)




terça-feira, 20 de setembro de 2011

II - Fórum de Psicanálise e Sociedade - 2011


Uma nova semiologia de Freud

DATA: 28/09/2011 - QUARTA-FEIRA
HORÁRIO: 19:00
CONTATO: (71) 33478777
Local: Livraria Cultura do shopping Salvador









Todos estão convidados à livraria cultura do shopping Salvador, para assistir a palestra de Paulo César de Souza que é o tradutor de Nietzsche e das obras completas de Freud no Brasil.   Título da sua intervenção: "Uma nova semiologia de Freud".


O Fórum é aberto ao público e terá a  coordenação de Cláudio Carvalho (Psicanalista).


As inscrições serão feitas no local. Começará as 19:00 no dia 28/09/2011.

Cláudio Carvalho - Coordenador do Fórum de Psicanálise e Sociedade da APBa e Coordenador do DIÁLOGOS CONTEMPORÂNEOS NO MAM

http://www.youtube.com/watch?v=qmETm8DWmEQ&feature=player_embedded


Obs 1: Em breve vamos disponibilizar a venda em DVD do I Fórum de Psicanálise e Sociedade, 2011. O palestrante foi Contardo Calligaris.

domingo, 18 de setembro de 2011

O Educador e o Psicanalista - Um diálogo do cotidiano

A Associação de Psicanálise da Bahia tem o prazer de anunciar o lançamento do livro de Claudio Carvalho, que é psicanalista e analista-membro da APBa, historiador, professor de filosofia, coordenador do grupo Diálogos Contemporâneos e tem vários artigos e crônicas publicados nos jornais.

Estimado Leitor,

Receba essas cartas como o testemunho de uma experiência que vale a pena ser contada. Ao final da leitura, espero que você goste.

Claudio Carvalho






Valor do livro: R$ 25,00 reais
Como posso comprar? Faça o pedido por email, para: ccarvalho19_23@hotmail.com

sábado, 20 de agosto de 2011

III - Fórum de Psicanálise e Cinema - 2011

FILME: MELANCOLIA
DATA: 29/08/2011 - SEGUNDA-FEIRA
HORÁRIO: 19:30
Local: Saladearte Cine Vivo
CONTATO: (71) 33478777


José Queiroz - Psicanalista, coordenador do Fórum de Psicanálise e Cinema da APBa e Professor do Curso de Psicologia da UNIJORGE (jhqz@uol.com.br)





terça-feira, 2 de agosto de 2011

AMY WINEHOUSE NA COVA DOS LEÕES

A morte prematura da cantora inglesa Amy Winehouse foi cantada em verso e prosa pela mídia, pelos fãs e, sabe-se agora, até pelos próprios pais. A Diva da soul  music do século XXI repousa no Panteão dos deuses da música ao lado de Jannis Doplin, Jim Morrison, Kurt Cobain... Só para lembrar os mais famosos dentre os “heróis” a cumprirem o seu destino trágico.

Tive a oportunidade de assistir ao show de Amy em Recife, no início do ano. Ao contrário da grande maioria de críticos, colunistas e repórteres que cobriram a sua turnê, na minha humilde opinião, o show foi impecável. Da decisão intempestiva em ir ao show, passando pela performance da cantora e do público naquela noite, até a leitura dos jornais pernambucanos no dia seguinte, tudo apontava para um espetáculo onde todas as expectativas estavam concentradas no limite entre a vida e a morte, o comedimento e o excesso, a covardia e a inveja.  

A decisão de ir ao show surgiu de um argumento jocoso e fulminante para um grupo de admiradores da cantora indecisos: “vamos antes que ela morra”. A piada soa macabra hoje, mas sem sabermos estávamos antecipando uma situação possível... Ou desejada?  No show, a platéia ia ao delírio todas as vezes nas quais a cantora levava uma caneca à boca (que podia conter qualquer substância, inclusive água de coco) com gritos e uivos histéricos a indicar aprovação e incentivo à falta de comedimento e aos excessos arrolados na intensa biografia da jovem musa. Por que a excitação do público com os “excessos” da cantora? Seria covardia ou inveja? Ou as duas coisas ao mesmo tempo?

Vivemos tempos interessantes. Preocupados com o futuro, buscamos uma boa colocação no mercado de trabalho, vida saudável, higiênica e quase ascética: fumar está associado à morte; beber, só com moderação; sexo com camisinha e tomar decisões só depois de pensar bastante – de preferência com o auxílio de um especialista, consultor, guru ou um psi. O importante é tomar a decisão certa, para não se arrepender depois. E assim perseguimos a conservação da vida com comedimento e moderação como um fim em si mesmo – o que muitas vezes significa a ascese como ética contemporânea a revelar o quão distantes estamos do hedonismo que acreditamos nos definir.

Quando aparece uma deusa na música disposta a encenar os nossos desejos mais recônditos, estamos propensos a admirá-la, amá-la e a “torcer” por ela. Esperamos, ao contrário da nossa vidinha banal, assistir ao espetáculo de uma vida intensa, despojada da obsessão com os cuidados do corpo, desprovida da avareza das calorias e o mais próximo possível do hedonismo distante dos pobres mortais. Desejamos avidamente contemplar o espetáculo da exceção a nos provar que um dia também chegaremos lá. O problema é que enquanto esse dia não chega, possivelmente alimentados pela inveja, podemos desejar o cumprimento do destino trágico do herói, com o seu desaparecimento a nos consolar, apontando para o fato de que talvez não sejamos tão covardes assim.

Claudio Carvalho - Psicanalista, Coordenador do Fórum de Psicanálise e Sociedade da APBa (ccarvalho19_23@hotmail.com)